Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008
mesa p'ra duas (cont.)

Ontem estava eu a contar-vos as minhas aventuras com a LL no jantar, quando a matriarca me desencaminhou. E adianto já que não valeu muito a pena a tarde perdida, sim a tarde perdida.  A velha ia só mesmo para comprar roupa para o J., nem para a roupa da pipoca eu vi grande entusiasmo. Mas aí lixei-a. Peguei em tudo o eu me apeteceu, tudo que fosse em saldos, estão a ver a fartura que havia a esta hora do campeonato, e na hora de pagar ela que se chegasse à frente. O J. nem comprou um par de meias, com a mania das esquisitices . Para mim, um trapo que até já me arrependei de comprar, mas quem pagou fui eu. Injustiça! Da parte da manhã os meus pais foram às compras de carne, peixe e mercearia, e trouxeram para nós tudo o que acharam por bem trazer. O nós, entenda-se, eu, pipoca e J. Os meus pais dão a nós, os pais dele dão a ele. Algo não bate bem aqui na coisa. Enfim!

O jantar foi cinco estrelas. Não estivéssemos nós prontinhas para um serão agradável. Saída a duas é como se fossemos ter um "date" inesquecível. Pomo-nos bonitas só para termos o prazer de nos sentirmos bem connosco mesmas. É raro por aqui ver-se duas amigas a saírem as duas para jantar. A LL estava sofisticadíssima claro, perfumada. Eu estava bem, não estava com muita vontade de me arranjar, mas ela obrigou-me. Estava bonita, fiquei bonita.

Comemos um peixinho grelhado maravilhoso, e acompanhámos tudo com um vinho tinto maduro. Bastante aromático e saboroso. Conversámos que nos fartámos enquanto comemos. Os dois empregados que nos serviram já nos conheciam, e por isso estavam sempre em cima do acontecimento. Fomos tratadas que nem princesas, sim princesas, porque é mais bonito do que rainhas. Nessa noite falámos, rimos , e chorámos. Sim porque às vezes também choramos. Talvez mais do que gostaríamos, mas o assunto às vezes é inevitável. Principalmente quando falamos de erros do passado, ou saudades de coisas que perdemos. O nosso jantar durou à vontade cerca de quatro horas. Mas foram quatro horas maravilhosas. As quatro horas essenciais para a nossa vida ter algum equilíbrio emocional. Depois de sairmos do restaurante ainda fomos ao bar do costume ver como estavam as modas. Não havia nada de especial. Bebemos qualquer coisa alcoólica e doce, demos duas de conversa com os rapazes do bar, que são nossos conhecidos, e eles meteram duas musicas para nós dançarmos. Foi óptimo.

Estava a ficar tarde para uma saída nocturna a meio da semana. Fui levar a LL a casa e vim para a minha. O J. ainda estava acordado, também era relativamente cedo. Eu cheguei e ele saiu. Nada de anormal. Não acham?! Pareceu-me que ele estava de trombas, bah ! Ando com ele pelos cabelos. Ele que se prepare mais dia menos dia faço outra saidinha destas com a LL. Fez-nos tão bem.

 

 


sinto-me: bem
música: bom bom john Lee Hooker

publicado por soprodavoz às 16:05
link do post | comentar | favorito
|

9 comentários:
De tontices a 22 de Fevereiro de 2008 às 16:38
adorei o nosso jantar amiga , temos que repetir, é sempre muito bom sair e conversar consigo, refresca a alma
beijos


De estrelaquebrilha a 22 de Fevereiro de 2008 às 17:02
Ainda bem que se divertiram é sempre bom sair com as amigas, porque elas são mt importantes na nossa vida.
bj


De mariadomar a 22 de Fevereiro de 2008 às 17:19
Também fico mais "leve" quando almoço com os meus amigos. Faz-nos bem desabafar.
Quanto a ele estar de cara feia, finge que nao percebes.
Xi


De Bichana a 22 de Fevereiro de 2008 às 17:20
Estava de trombas o menino? Que peninha...


De Bichana a 22 de Fevereiro de 2008 às 17:24
O Blues que estavas a ouvir é uma boa malha!


De sarikitita a 22 de Fevereiro de 2008 às 17:46
A cara feia dele não assusta ninguém... E uma saída a duas faz sempre bem!!!
Beijocas.


De Miss Pepper a 22 de Fevereiro de 2008 às 23:56
Que maravilha! Devem ter ficado as duas de alma lavada! :)
Há bué que não faço um programinha desses... acho que estava a precisar. E a precisar de apanhar 1 ganda tosga e dançar até cair para o lado.
Sai as vezes que te apetecer e deixa o "trombinhas" de lado... Ele não sai também? Então não tem nada que fazer beiçola grande.

Xinhus!


De xana a 23 de Fevereiro de 2008 às 00:27
Não ligues a trombas grandes! Ele tinha trombas grandes porque estava atrasado para a saída dele. Da próxima aproveita mais ainda e chega mais tarde, para que ele fique com uma trombas tão grandes que nem ele se aguenta.
Eu há muito que não saio, nem em saídas de mulheres, nem mistas nem coisa nenhuma, já me faz falta uma saída para animar o espirito.
bjks


De Lil a 23 de Fevereiro de 2008 às 14:35
tou a precisar de uma coisa dessas um dia....


Comentar post

.mais sobre mim
.Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. continuo a soprar...

. não há limites

. fechado!

. tasse bem... ou pensamos ...

. vergonha de mim

. duvidas

. santas páscoas

. noticias do cativeiro

. reconstrução

. a culpada

.arquivos

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.fala comigo
.links
.pesquisar
 
.sopros online
   
blogs SAPO
.subscrever feeds